Perfil Disc

O que é o DISC?

Artigo é da autoria de Emília Alves, Business Coach da ActionCOACH Lisboa.
21 Outubro 2019

Hoje queria partilhar consigo algumas reflexões sobre um teste, que ainda que pareça estar agora na moda em Portugal, tem dezenas de anos e é muito usado desde os anos 80 em recrutamento, vendas, ou melhor, como ferramenta para comerciais, e também para alinhamento de equipas.

Perguntando ao Google, encontramos a seguinte definição na Wikipedia:

DISC é um modelo baseado no trabalho do Dr. William Moulton Marston (1893-1947) para examinar o comportamento dos indivíduos em um determinado ambiente. Para Marston, existem quatro tipos básicos de comportamentos previsíveis observados nas pessoas e tais respostas comportamentais ocorrem a partir da combinação de duas dimensões: uma interna (referente à percepção do poder pessoal no ambiente) e outra externa (percepção da favorabilidade do ambiente). 

Avaliação DISC é uma teoria postulada pelo psicólogo Dr. William Moulton Marston em seu livro “Emotions of Normal People”[1] (1928), publicado pela primeira vez em português no ano de 2014, com o nome de “As Emoções das Pessoas Normais”, que determina alguns padrões de comportamento. A partir desta teoria, foram elaboradas ferramentas para análise de perfil comportamental, sendo o primeiro instrumento de mensuração (Activity Vector Analysis) desenvolvido por Walter Clarke (1945). Tais avaliações consideram comportamentos ou emoções observáveis, não abrangendo, portanto, a personalidade dos indivíduos.

De realçar o seguinte:

  • não é um teste de personalidade,
  • é feito pelo próprio e tem uma duração de cerca de 15 a 20 minutos, no máximo,
  • obtém-se imediatamente o relatório; e
  • diz-nos como podemos melhorar o nosso comportamento e a nossa comunicação em relação ao outro, no verdadeiro sentido da alteridade, para melhor interagirmos com ele, de uma maneira mais fluída e eficaz.

Portanto, o DISC tem quase 100 anos e é um perfil comportamental e de modo comunicacional, que nos ajuda a conhecer as nossas preferências, tanto na nossa zona de conforto;  o nosso estilo natural, como em situações profissionais e de stress, pelo que pode variar com o passar do tempo, com o acumular de experiência e com a nossa maturidade e, por maioria de razão, quando passamos de uma cultura ofganizacional a outra ou mesmo quando mudamos de funções….  Daí a minha recomendação que sempre que isto acontece devemos fazer o teste; e no mínimo com uma periodicidade bi-anual.

Então porque é que eu afirmo que o disco é uma ferramenta nos processos de recrutamento, para comerciais e para alinhamento de equipas?

Um processo de recrutamento visa analisar a adequação do indivíduo às funções que irá desempenhar e ao ambiente de trabalho; cultura organizacional, em que se vai enquadrar; e se durante muito tempo o mais importante eram as qualificações técnico-profissionais, e as escolhas/universidades que tinha frequentado, o foco tem derivado para a atitude individual, posicionamento face a si próprio e aos outros, e ao alinhamento dos seus valores com os valores da cultura organizacional da empresa onde vai trabalhar; evitando que se continue a recrutar por competências e a despedir por atitude e comportamentos desajustados.  Assim, ter um perfil DISC é imprescindível para o processo de recrutamento e para o processo de indução na empresa/departamento, linha de reporting e com os stakeholders com quem irá interagir diariamente (clientes, fornecedores, etc).

Mas aqui pergunta-me: mas porquê nas vendas?

Pelo que acabo de lhe dizer; ou seja, conhecendo as suas preferências  e percebendo as dimensões do perfil DISC, consegue adaptar o seu comportamento e a sua comunicação aos indivíduos com quem vai relacionar-se; mais rápido ou mais lento, por exemplo; mas orientado para os resultados ou para o processo que o vai levar aos resultados…

E por fim, porquê no alinhamento das equipas?

Exatamente pela mesma razão: a percepção do perfil do nosso interlocutor e o conhecimento do nosso próprio perfil, é um elemento facilitador no alinhamento de uma equipa face à sua liderança, ao seu objetivo comum, ao cumprimento das regras do jogo e de alinhamento do plano de acção e também no apoio ao risco e à inclusão e envolvimento de todos os elementos da equipa. Acolhemos mais facilmente aqueles com quem melhor e mais facilmente comunicamos e interagimos, porque numa equipa não temos que ser amigos, mas temos que ser aliados na prossecução de mais e melhor para todos, acrescentando valor, criando sinergias.

E agora não lhe apetece conhecer o seu perfil DISC?

E já pensou como este conhecimento lhe pode ser útil nas suas relações familiares, com os seus amigos e nos seus grupos de pertença?

Descubra as melhores estratégias para adquirir competências de liderança e motivar as suas equipas para o sucesso!

 

Preencha os dados para receber o nosso eBook “Como atrair e constuir uma equipa de sonho!”.

GESTÃO DE EQUIPAS

lm equipas ebook preview
EBOOK GRÁTIS

Partilhar:

Emília Alves

Licenciada em Línguas e Literaturas modernas, Inglês e Alemães, aprofundando a área da formação através de uma Pós-graduação e Certificação em Liderança Estratégica por Valores e Coaching, na Universidade Carlos III, em Madrid, homologada pela International Coaching Federation, de que é membro e Coach certificada. Carpe diem é o seu motto e sente que gostaria de ter muitos anos de vida para fazer tudo aquilo que gostaria de fazer como pessoa e como Coach, na senda da excelência e da maximização do seu potencial e dos seus coachees.

Últimos artigos de Emília Alves